Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. OK Ler mais

Quinta-Feira, 13 Agosto 2020, 09:38

  Login:     Password:       

   Divulgação e Notícias





VET-Porto Judeu: Consultório de Medicina Veterinária aposta na proximidade

Serviços de proximidade numa freguesia populosa e equidistância dos centros urbanos da ilha Terceira foram os dois critérios que Sara Menezes, 29 anos, natural de Angra do Heroísmo, aproveitou para montar o Consultório de Medicina Veterinária no Porto Judeu.
A VET-Porto Judeu abriu portas em Fevereiro de 2012 no centro da freguesia angrense, no Largo de Santo António, e resulta de um projecto profissional da jovem médica veterinária formada pela Universidade de Évora com mestrado em Engenharia Zootécnica na Universidade dos Açores, funcionária dos Serviço Regional de Desenvolvimento Agrário.
Isto porque ao serviço de acompanhamento de espécies pecuárias, Sara Menezes junta o saber e o gosto que tem pelo tratar dos animais de companhia: “são complementares. Ia ser difícil não exercer a clínica de pequenos animais que sempre gostei”.
A aquisição de equipamento para a VET-Porto Judeu contou com um apoio co-financiado pelo PRORURAL, apoiado por via da GRATER, no valor de 12.200 euros. Equipamentos que vão desde o material de escritório até ao mobiliário e aparelho para uso clínico, como marquesa, maca, balança, frigorífico, ar condicionado, jaula de contenção, etc.
Sara Menezes refere que ainda não completou a instalação de todo o equipamento necessário, pretendendo até final do ano proceder à aquisição de mais material.
 
Saúde animal
E pública

 Sara Menezes viu na freguesia do Porto Judeu, uma localidade com grande densidade populacional e sem este tipo de serviço, uma oportunidade a explorar: “é uma zona da ilha, fora dos centros das cidades- onde já existem várias clínicas e consultórios de veterinária-, mas equidistantes entre eles”.
Os seus clientes são na sua maioria as populações da freguesia, dos quais, sublinha “a maior parte, mais de 50%, nunca tinham ido a um veterinário”.
Desta forma, realça, este consultório acaba por representar uma dupla realidade: um serviço de proximidade e um impulsionador de saúde animal e, por conseguinte, de saúde pública”.
Isto porque, além dos tratamentos prestados, o consultório disponibiliza diversa informação sobre cuidados e orientações a ter com animais de companhia.
A fidelização de quem procura a VET-Porto Judeu está sendo feita por quem já lá tem ficha inscrita: “noto que os meus clientes acabam por passar a palavra”. Prova disso, está nos pacientes que regressam, para retomar vacinações e/ou procurar outros tratamentos.
Para Sara Menezes esta é uma matéria de grande importância uma vez que, apesar de poucos, têm-lhe surgido alguns casos graves, como no Verão do ano passado quando deparou-se com um cão não vacinado infectado com leptospirose, confirmada por laboratório. A situação acabou por levar a médica veterinária ao hospital para despistar contágio humano.

Consultório com
espaço maior

O consultório VET-Porto Judeu recebe cerca de cinquenta animais por mês para sobretudo vacinações, desparatizações e atendimento a animais doentes, mas igualmente para tosquias, prestando ainda serviço ao domicílio, com horário de atendimento das 17H00 às 20H00 de segunda a sexta-feira e entre as 10H00 e as 13H00 ao Sábado.
Inicialmente, aberto a tempo inteiro, o consultório aspira um dia regressar a esse expediente, porém, devido à crise, explica a sua responsável, o único recurso humano a trabalhar no espaço, essa opção está, para já e nos próximos tempos, posta de parte.
De igual forma, reforça, nos actuais tempos de crise e de contenção económica, os cuidados com os animais são muitas vezes preteridos.
Contudo, a médica veterinária não deixa de referir a vontade de aumentar a área de trabalho: “gostava de ter um espaço maior”.



  Outras Fotos

Dolfine.com (C) 2020