Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. OK Ler mais

Domingo, 25 Julho 2021, 13:04

  Login:     Password:       

   Divulgação e Notícias





“As casas do povo têm de ser auto-sustentáveis”

Associada da GRATER há uma década, a Casa do Povo dos Biscoitos – freguesia situada a Norte, sensivelmente a meio das duas principais urbes da ilha Terceira –, é um exemplo não só de uma descentralização de serviços e meios de apoio às populações, como de gestão empresarial com preocupação social e de optimização de recursos e pessoal.

Eugénio Simas, presidente da direcção da instituição há já três mandatos acompanhou os altos e baixos desta casa do povo e acredita que hoje em dia ela pode servir de exemplo às suas congéneres.

Alem de disponibilizar os serviços habituais, a Casa do Povo dos Biscoitos oferece outras valências, inovadoras e inéditas, dando apoio em sectores que acredita serem necessários não só à freguesia, como à sua vizinhança.

 

Novos serviços

e emprego

 

“A Casa do Povo dos Biscoitos fez grandes investimentos nos últimos dois anos”, referiu o seu responsável, contabilizando que, em termos de requalificação do imóvel, foram investidos cerca de 200 mil euros, e isto, reforça, “só no último ano”.

Um esforço financeiro que permitiu criar não só novos estruturas e serviços, como gerar emprego, possibilitando a actual equipa de treze funcionários, além de criar outros vinte empregos indirectos.

“Esta é uma forma de não concentrar serviços e mão-de-obra nos meios urbanos e contrariar a desertificação rural”, defende Eugénio Simas.

Uma estratégia que, alerta, só funciona com auto-sustentabilidade destas estruturas: “as casas do povo têm de ser auto-sustentáveis e não subsidiodependentes. Têm de ser capazes de desenvolver projectos e gerir negócios sociais”.

 

Ambulância e

fisioterapia “Ora Viva”

 

Actualmente, a Casa do Povo dos Biscoitos dispõe de um serviço de transporte com ambulância, único na ilha e mesmo raro nas restantes, sublinha o presidente da instituição. Este veículo – que faz parte de uma frota de seis veículos que a casa do povo dispõe –, é usado, há já ano e meio, na deslocação gratuita de pessoas da freguesia e arredores de e para as unidades de saúde regionais ou para a casa do povo.

Outro dos serviços inovadores é o prestado no gabinete de fisioterapia, baptizado de “Ora Viva” que abriu portas em Dezembro de 2010 e que atende, em média, treze pessoas por semana. Quatro auxiliares e um fisioterapeuta repartem-se em sessões de tratamento ministradas, quer no interior de um espaço apetrechado com os mais modernos equipamentos e materiais, quer ao domicílio.

O presidente da Casa do Povo dos Biscoitos não esconde que a ambulância e o centro de fisioterapia constituem os dois principais investimentos e conquistas do seu mandato: “é um balanço muito positivo porque estamos numa zona afastada dos centros e assim as populações têm possibilidade de usufruir de serviços de qualidade no conforto da sua freguesia”.

 

Comida, roupa

e animação

 

Além de albergar uma esquadra da PSP com mais de uma dezena de efectivos policiais, a Casa do Povo dos Biscoitos detém ainda gabinetes de apoio social e médico, com serviços de enfermagem e maternidade, protocolado com o Instituto de Acção Social e Centro de Saúde da Praia da vitória.

O imóvel alberga ainda um info-centro, financiado pela autarquia e dinamizado pelo agrupamento local do Corpo Nacional de Escutas (CNE), que acaba por ser polivalente, tendo outras finalidades, sobretudo para formação de pessoal.

Mas é o apoio ao domicílio a cerca de 35 utentes, quer ao nível da confecção e entrega de alimentação, quer da higiene habitacional e pessoal, além do serviço de lavandaria, que mais recursos humanos mobilizam nesta instituição.

“São sobretudo idosos os nossos utentes, mas também já apoiámos casos sociais graves”, explicou o presidente da direcção.

Por outro lado, o centro de convívio da terceira idade desta casa do povo junta e desenvolve actividades para 85 utentes, tendo sido criado para o efeito, um recanto que permite a realização de trabalhos manuais, degustação de lanches ou mesmo o ensaio de bailinhos e danças de carnaval.

 




 

Anexo à Casa do Povo

Criação de Centro

de beleza e desporto

 

Segundo o presidente da Casa do Povo dos Biscoitos, o futuro da instituição passa pela construção de uma nova valência, em infra-estrutura a edificar anexa à actual, para desenvolver um centro de beleza, estética e actividade física.

Segundo as aspirações de Eugénio Simas, a cobertura do actual espaço do ringue de patinagem daria lugar, num primeiro piso, a uma sala multiusos vocacionada para a actividade física e desportiva, e o segundo nível seria dedicado a tratamentos de beleza, com a criação de gabinetes de estética e de cabeleireiro para concessionar a profissionais numa lógica de “economia solidária”.

Para já, esclarece Eugénio Simas, este é “um projecto ainda em estudo” mas que já procura “parceiros e financiamento”.



  Outras Fotos

Dolfine.com (C) 2021